Pelo seu número, os homens não se tornaram nocivos para o meio ambiente?

Esta claro que os homens têm uma capacidade fantástica para destruir o ambiente.

a) Se todos os homens consumissem tanto e tão anarquicamente como os habitantes dos países ricos, o planeta bem depressa se transformaria num deserto.

b) O incêndio dos poços de petróleo, na região do Golfo, provou que esta capacidade destrutiva pode ir até à demência. A prazo, o saque da Amazónia não é menos preocupante.

c) Efeitos igualmente desastrosos, apesar de em menor escala, são produzidos onde os recursos naturais são explorados segundo métodos arcaicos ineficazes nocivos para o ambiente.

Por outro lado,

a) O progresso da agronomia, por exemplo, comprova felizmente que o homem também tem uma capacidade espantosa para bem-gerir o meio ambiente e os recursos naturais. Segundo a opinião da própria FAO, os problemas de alimentação são menos problemas técnicos que problemas políticos e portanto morais.

b) Além disso, é a educação e o enriquecimento da população que permitem uma regulação dos nascimentos e não o inverso.

c) Finalmente, respeitar o ecossistema é antes de mais respeitar o coração do meio ambiente, ou seja, o ser humano. Como é possível respeitar um elefante ou um bebé foca se não se respeita nem sequer a carne da sua própria carne?

O que acontece demasiadas vezes é que, movidas pela ânsia desfreada do ganho, certas pessoas destroem os equilíbrios naturais, e depois, com extraordinário cinismo, declaram que há gente demais no planeta e que este "sobrepovoamento" polui o ecossistema; deteriora-se a Amazónia, depois diz-se que há gente a mais no Brasil.

choucho.gif (5183 octets)

blint.gif (141 octets) Voltar na página "Os aspectos demográficos".

blint.gif (141 octets) Voltar na página "Índice geral".