Quais são as consequências da dissociação entre sexualidade e procriação na união conjugal?

A dissociação radical entre os dois fins da união conjugal tem duas consequências. Primeiro, ela põe em perigo a própria existência da célula familiar, principalmente favorecendo o amor livre antes do casamento. Depois, ela conduz insensivelmente a um estado de espirito que recusa a vida, e que é mesmo assombrado pela morte. Como a procriação é um mal que é preciso evitar a todo o custo, é preciso inevitavelmente matar aquele que se torna um obstáculo ao único bem que se procura no acto conjugal: a união carnal e o prazer que lhe está ligado.

choucho.gif (5183 octets)

blint.gif (141 octets) Voltar na página "A Igreja e a natalidade".

blint.gif (141 octets) Voltar na página "Índice geral".