O direito de abortar, o direito da mulher a dispor livremente do seu corpo, não é uma reivindicação essencial de feminismo?

É o cumulo do machismo: permitir que os homens, roubem a inteligência e a vontade das mulheres, levando-as a tornarem-se simples objectos de consumo sexual.

a) Este mesmo machismo interiorizado pelas mulheres leva-as, de resto, a desejarem a sua "hormonização", a sua mutilação, ou seja a sua "desmaternização", quer dizer, a aniquilação da sua natureza maternal.. Em certos meios, acontece em relação à esterilização aquilo que, em vários países de África ou do Médio Oriente, acontece em relação à excisão: as mulheres esterilizadas acabam por apontar o dedo às que não o foram!

b) Sob a pressão do movimento neomalthusiano, as mulheres do século XX renunciaram à "vantagem comparativa" que, desde a noite dos tempos, detinham em relação aos homens. De facto, desde que o mundo é mundo, as mulheres detinham o segredo da fecundidade. No decurso deste século, consentiram em renunciar a tal privilégio, a aliéna-lo. Partilham com os homens o domínio da sua fecundidade ou cedem-lhes o cuidado da sua gestão.

blint.gif (141 octets) Página seguinte.

blint.gif (141 octets) Voltar na página "A mulher: esposa e mãe".

blint.gif (141 octets) Voltar na página "Índice geral".