A legislação

"A lei reflecte os costumes; ora o aborto entrou nos costumes, portanto deve ser legalizado."

As lei que liberalizam o aborto não terão, ao menos, a vantagem de limitar o número de abortos?

"Em democracia, é a maioria que decide; o parlamento pode, pois, mudar a lei."

Uma sociedade que queira proteger-se não pode então dispensar as proibições?

A lei já não era aplicada. Não se estaria a desprezar o Estado de direito?

Ha quem denuncie um "vazio jurídico" em certos países. Não é inadmissível que esse vazio exista?

Uma vez que há abortos, não vale mais legalizá-los e torná-los um acto médico, a fim de que sejam praticados "em boas condições"?

Pode reprovar-se que o legislador defina as condições necessárias para que o aborto seja autorizado?

O facto é que há abortos clandestinos. Não valerá a pena legalizar o aborto para reduzir o seu número?

Os juízes não terão poder para fazer respeitar uma lei liberalizados do aborto?

Não ha diferença entre despenalizar o aborto (ou seja, retirá-lo do código penal) e liberalizá-lo (ou seja torná-lo mais livre e mais fácil)?

Nos debates sobre a legalização do aborto, por vezes houve quem pedisse que o Estado desculpabilizasse o aborto. Que significa este termo?

ss26.gif (2850 octets)

To download the text, click here: A legislação (pdf file).