As organizações internacionais

Evoca-se com frequência uma campanha dos ricos e poderosos, que se empenhariam em limitar a população mundial pobre, a fim de não serem obrigados a partilhar as suas riquezas. Não será uma visão um tanto sombria da sociedade e do futuro do mundo? Como é possível que tais publicações sejam tão pouco conhecidas? Pode-se estabelecer a existência desta campanha citando alguns factos?

É neste quadro que aparece a pílula abortiva RU 486?

Significará isto que instituições especializadas da ONU, e talvez a própria ONU, estão implicadas em campanhas antinatalistas nos países pobres?

Custa a acreditar que uma instituição tão prestigiada como a ONU avalize políticas de "contenção" demográfica que comportam a pratíca do aborto.

Quem ganha com esta mutação?

Esta mutação aproveita a algumas nações em particular?

O relatório Kissinger fala do aborto?

Haverá alguma relação entre esta política demográfica dos EUA e a mutação que se observa na natureza da ONU?

Como explicar que as democracias ocidentais sejam cúmplices dos EUA na restrição do crescimento demográfico do Terceiro Mundo?

A atitude destes ricos é partilhada por todos os cidadãos dos EUA e das democracias ocidentais?

Não ha incoerência das nações ocidentais ao exportarem produtos abortivos, continuando simultaneamente a proclamar-se campeões da democracia e do desenvolvimento?

Quem são, em ultima análise, os verdadeiros responsáveis e verdadeiros instauradores do totalitarismo contemporâneo?

Em suma: se nenhuma acção pela vida humana for desenvolvida a nível mundial, perfilar-se-á uma nova guerra?

Não será excessivo falar de guerra a propósito do aborto?

   

ss26.gif (2850 octets)

To download the text, click here: As organizações internacionais (pdf file).