Quando os caracois vivem em harmonia com ciclideos

 

Pode se observar nestas duas fotos que Pomacea bridgesi (ampularia dourada) e Neolamprologus similis vivem em comunidade sem aparentemente se incomodar.

Este Neolamprologus é um pequeno ciclideo que "vive" em conchas ,originário do Lago Tanganyika; nesta situação ele só se preocupa com o facto que o caracol não venha tentar comer seus ovos.  Do seu lado P. bridgesi tomará todas as precauções para não ser atacada (as antenas estão retractadas, só os estrito mínimo de seu corpo aparece fora da concha).

Se bem que estas duas espécies não sejam originárias do mesmo meio ambiente, pode se deduzir que este ciclideo não agride os gastropodes que avizinha no lago (por exemplo as neothaumas). Convém especificar que o equilibrio entre espécies só pode ser alcançado se as necessidades em termos de alimentação são respeitados e satisfeitos.  Um similis sub-alimentado tentará morder a ampulária (predação oportunista) e uma ampulária sub-alimentada tentará a todo o custo devorar os ovos do ciclideo. 

E bastante instructico e divertido observar o comportomento deste pequeno ciclideo quando melanoides penetram seu território de desova.  Se ovos estão escondidos numa concha, ele vai apanhar estes pequenos caracois com sua boca e rejeitá-los fora do dito território. Invariávelmente os caracois voltam à carga e o ciclideo apanha-os e cospe-os mais longe.  Um comportamento constante até ao nascimento dos Similis juvenis.

Convém especificar que no aquário objecto do estudo se encontram N. Similis et  des Cyprichromis Microlepidotus "Kasai".  Estas duas espécies de ciclideos comem habitualmente fitoplancton e não agridem Pomacea bridgesi.  O aquário está plantado com Microsorum Pteropus, 'Elodea Densa e um Bolbitis.  Pomacea bridgesi não molesta as plantas.

Regresso ao Indice