Principais Classes de Molluscos

1.  Amfineuras

Sã molluscos de aspecto vermiforme, sem massa visceral dorsal proeminente.  Sua face ventral é frequentemente imperfeitamente diferenciada em pé.  Para muitos, à volta do corpo, o manto forma uma dobra na qual estão regularmente espaçadas numerosas guelras.  As duas cavidades coelomicas conservam seus caracteres primitivos e comunicam uma com a outra.  O sistema nervoso é análogo ao dos vermes, mas duplicado na face ventral.  A concha, quando existe, forma-se de placas de calcário distintas.

Ex.: os Chitons que habitam as costas europeias e rastejam sobre as rochas. Em profundidade, o mais frequente sobre colónias de hydras vivem pequenos amfineuras, os Neomenianos, que são desprovidos de concha.

2.  Gasteropodes

Os gasteropodes foram submetidos à flexões e torsões simultáneas que determinaram sua estrutura.

O Gasteropode passa por uma flexão que tem a ver com a sua diminuição de comprimento; uma bossa dorsal levanta-se e o intestino descreve uma curva em U, é a flexão endogástrica.  A bossa dorsal levanta-se cada vez mais e, ao prolongar-se enrola-se em hélice, a ponta da espira virada para a frente.  O anus permanece em posição normal, ao oposto da boca.  Nesse momento, o Gasteropode efectuou o enrolamento exogástrico.

A terceira fase inclui uma verdadeira torsão.  A massa visceral vira-se sobre ela própria, levando a cabo uma rotação de 180° para a direita.  A seguir deste movimento, a cavidade paleal e seus anexos passam para a frente, e a ponta da concha vira-se para tràs.  A torsão tem ainda outra consequência: provoca a atrofia, mais ou menos acentuada, das visceras morfologicamente situadas à direita e pressionadas pelas visceras esquerdas que passaram para a direita; assim, sómente um rim permanece.  A torsão ocorre muito rápidamente na larva. Durante esta torsão, o sistema nervoso acompanha o movimento e é torcido em oito (8). Tal sistema é dito streptoneura.

A classe dos gasteropodes subdivide-se em três sub-classes: os Prosobranquios, os Opisthobranquios e os Pulmonados.  Eis algumas definições que permitem perceber as diferenças.

2.2. Os Prosobranquios

O sistema nervoso é streptoneura e os sexos são separados.  Suas cavidades coelomicas não comunicam, o órgão genital é independente do coeloma renal; mas a nefridia fica em contacto com o coração.  A maior parte são marinhos: Lapa, Murex, etc ... Em água doce, os Prosobranquios também contam numerosos representantes, como a Paludina Vivipara.  Existem alguns prosobranquios terrestres; como o Cyclostoma; suas guelras estando atrofiadas, eles respram como os pulmonados.  Uma série de Prosobranquios tornam-se nadadores e vivem em alto mar, são os Heteropodes.  Seu pé volumoso é achatado lateralmente e toma a forma de uma quilha de navio; seu corpo é alongado e tem por vezes um aspecto pisciforme.  Seus tecidos, ricos em água, tornam-se transparentes.  Citamos como exemplas a Carinaria, o Pterotrachea que é frequentemente capturado com o plancton costeiro.

2.3.  Les Opisthobranquios

São todos marinhos e pertencem a outra linha evolutiva.  O ventrículo cardiaco é virado para a frente ou para o lado, enquanto que a guelra é orientada para tràs ou para o lado.  Frequentemente confundidos com Prosobranquios distorcidos, nota-se que neles a torsão - dada o forma de suas conchas - não ultrapassa 90°.  O anus permanece muito atràs da cabeça sobre o lado direito.  O sistema nervoso mostra uma torsão incompleta; frequentemente muito concentrado, ele escapa a qualquer torsão.  A massa visceral, nítidamente menos desenvolvida que nos Prosobranquios, tende à confundir-se com o resto do corpo e acentua o aspecto simétrico do animal..  Os Opisthobranquios são hermafroditas.  Citemos as Doris que rastejam sobre as algas marinhas, os Aeolis, todos sem coquille, as Aplisias Lebres do mar com a concha parcialmente interna.  Os ptérodes são Opisthobranquios planctonicos.

2.4. Os Pulmonados

Excepcionalmente têm uma cavidade paleal provida de guelra.  A parte superior da cavidade paleal solda-se ao corpo, deixando apenas um orificio estreito ou pneumostoma.  Esta cavidade paleal, mais ou menos oca, torna-se o pulmão; suas paredes são irrigadas por veias similares que se reunem para formar uma grande veia pulmonar que se dirige para o coração.  O pulmão torna-se o órgão respiratório e substitui uma guelra.  Os Pulmonados passaram por uma torsão completa tal como os Prosobranquios, mas seu sistema nervoso, geralmente muito concentrado na região cefálica, escapa à torsão.  A posição do coração é similar à dos Prosobranquios.  Como os opisthobranquios, dos quais se distinguem nítidamente, são hermafroditas e o aparelho genital é provido de órgão anexos.  Muitos vivem em água doce: Limnaea, Bullinus, Planorbes; outros sÒo terrestres: Caracois, lesmas.

3. Os Céfalopodes

Se bem que sejam os Moluscos mais elevados em organização interna, frequentemente voltam ao tipo primitivo.  Desenvolveram-se em altura, sem predre sua simetria bilateral.  Passam por uma flexão endogástrica que é seguida de um enrolamento da massa visceral, mais ou menos marcado segundo as famílias, mas não passam por qualquer torsão.  A concha varia consideravelmente.  A do Nautilus enrola-se em espira num só plano; as paredes transversais dividem-na em câmaras sucessivas cujo número indica a idade do animal que viveu sucessivamente cada uma delas e vive naquela que é mais recente e maior. No caso da lula, a concha, eduzida a uma lâmina, tornou-se interna; no caso do choco, só permanece uma tira ( a pena).  Os polvos não têm traço nenhum de concha.

4. Les Lamelibranquios

Estes Moluscos são incontestavelmente os mais distantes do tipo primitivo.  Eles conservam geralmente uma simetria bilateral.  O pé afia-se e fica mais achatado, parecendo o ferro de uma machado (isot explica o nome de Pelecypodes pelo qual são por vezes designados) ou uma língua; serve para cavar.  A masse visceral não forma bossa e a região cefálica, extremamente reduzida (Acéfalos), só é observável do exterior graças à boca.  Nenhum traço de bolbo bucal persiste e a radula desapareceu.

Por exemplo, citemos as Nuculas (Nucula), os Mexilhões (Mytilus) que se fixam nos rochedos pelo byssus, um conjunto de filamentos semelhantes à seda secretados por uma glândula situada na base do pé; as Ostras (Ostrea, Gryphea); os Solens ou Facas.  Em água doce, os Unios e os Anodontes, que se enterram na lama e cujo desenvolvimento  inclui uma fase parasita: a larva fixa-se nas guelras ou na pele dos peixes com pequenas garras e absorve comida graças a um pseudo-pallium (falso-manto) que funciona como um aparelho absorvente.

Esquemas estão disponíveis, de maneira a facilitar a compreensão deste texto, visite a secção esquemas

Sumário