Patologias

Na patologia humana e animal, os Trematodes desempenham um papel considerável.  A fascíola, por pouco que seja abundante, provoca ao gado e também às ovelhas uma doença grave: a podridão ou cachexia aquosa.  O animal torna-se anémico e sofre de edemas temporarios.  Emagrece e morre exausto.

Diversas fascíolas (Clonorchis sinensis no Extremo-oriente e Opisthorchis felinus na Europa e Asia) podem invadir o fígado do ser humano e ser a causa de distúrbios frequentemente mortais.  O fígado perde seu revestimento e as paredes das canaliculas biliares hypertrofiam-se. O doente tem dores abdominais; apresenta sinais de icterícia, hydropisia e edemas nos membros inferiores.  Morre frequentemente de etisia.

A fascíola pulmonar, Paraginumus ringeri, é o agente da bronquite sangrenta que simula a pneumonia (cuspo castanho-côr de ferrugem) ou a tuberculose pulmonar com cuspo contendo sangue - por vezes abundante.  O pronóstico desta doença é sombrio (Extremo-Oriente).

Os Schistosoma haematobium (Bilharzia) causam a hematuria do Egipto, caracterisada pela perda e um pouco de sangue ao fim de cada micção.  Esta doença acompanha-se de frequentes complicações (infecção da bexiga, polipos, etc.), que a tornam temível.

Estas  "parasitoses" diagnosticam-se sobretudo pela descoberta dos ovos (excrementos, cuspo, urinas).

Acção dos vermes parasitas sobre seus hospedes

1) Acção espoliadora - Os desvios de matérias alimentares ou até mesmo de substâncias vivas raramente tem grande importância.  Os Ténias não enfraquecem seus hospedes com a pequena quantidade de matérias que substraem; sua acção nociva manifesta-se de outra maneira.  No entanto, as hemoragias repetidas causadas pelos Ancylostomas e outros Helmintos acabam por enfraquecer o homem que infestam.

2) Lesões e reacções inflamatórias - Numerosos helmintos causam, pela sua presença, uma irritação dos órgãos e tecidos.  As Triquinas provoquam, no momento da migração das larvas, uma irritação gastro-intestinal extremamente viva que por vezes causa a morte.  Os Ascarideos erráticos, por exemplo, migraram para a parede abdominal, são seguidos por uma multidão de  leucocytos cujos cadáveres formam o pus: cria-se um abcesso venenoso. Os ascarideos por vezes irritam tanto o intestino que a ascaridiose simula a febre tifoïde.

3) Reacções neoplásicas - Sabe-se que certos helmintos: Clonorchis sinensis, fascíola hepática do Homem, a forma larvar do Taenia taeniaeformis no fígado do Rato, o Nematodo Gongylonema neoplasticum do l'estómago e da língua do Rato podem provocar uma proliferação celular que se parece com o cancro.

4) Acção toxica - E muito mais importante que a anterior.  Os helmintos rejeitam no organismo substáncias que são um verdadeiro veneno para o hóspede.  Os acidentes nervosos que acompanham as téniasis, a ascaridiose (pseudo-meningite verminosa) são a consequência de uma intoxicação dos centros nervosos.  A anemia grave observada aquando de diversas doenças verminosas (ancilostoma, algumas teniasis, etc ...) é causada pela destruição dos glóbulos vermelhos pelas substâncias que os parasitas eliminam (substâncias hemolíticas).

5) Reacção Humoral do hóspede - Os humores (liquidos orgânicos) do hóspede são modificados.  Forma-se no plasma sanguineo, como no decorrer das infecções microbianas, anticorpos ou substâncias antagonistas, protéinas ou antigenes de origem parasitária.  O hóspede tende a imunizar-se contra os seus parasitas; de uma maneira geral, ele não consegue imunizar-se totalmente; mas ele adquire certas propriedades que demostram sua mudança de estado.  Eis alguns exemplos: um portador de Ténias não se sobreinfesta com os cisticerques da mesma espécie que o seu parasita.  Se ele tem diversos Vermes, tem-se a certeza que eles foram adquiridos simultáneamente.  O líquido cavitar dos Ascarideos irrita muito a conjuntiva ocular dos Cavalos sãos; ele deixa indiferente o olho do sujeito atingido de ascaridiose recentemente.  A presença dos anticorpos foi revelada por diversas reacções biologicas.  Entre outras, o líquido hidático precipita o sérum dos individuos portadores de um echinocoque, enquanto que permanece sem efeito nos individuos sãos. estas reacções servem para diagnosticar a afecção parasitária.  A fórmula leucocitar do sangue dos portadores de helmintos é modificada; em particular o teor de leucocitos eosinófilos (com citoplasmawue contém  grãos ávidos de eosina) aumenta em proporções consideráveis.  esta eosinofilia permite frequentemente orientar o diagnóstico para uma doença verminosa.

Luta contra os Helmintos do homem

1) Profilaxia - Inclui a destruição dos ovos pela desinfecção das fezes, o controle sanitário dos animais abatidos, a exclusão absoluta dos Cães nos matadouros.  Certas regras de higiene tais como a limpeza das mãos, a cozedura dos alimentos, a vigilância ou desinfecção das comidas cruas (saladas, morangos, etc, etc.), completam-na.

2) Tratamento curativo - por entre os antihelminticos mais utilizados contra os Cestodes adultos existe o extracto etéreo de feto (a planta) macho, a essência de Cenopode, a peletiérina, alcaloïde extato da raiz de romãzeira, os  grãos de abóbora.  Contra os Nematodos, a essência de Cenopode, a santonina (substância extrata das flores desabrochadas de artemísias), o tetracloruro de carbono (sobretudo para os Ancilostomas), o Thymol, dão excelentes resultados.  Emética (tartrato duplo de K e de Sb) e foadina (composto orgánico complexo de Sb trivalente) agem contra as fascíolas hepáticas, os Schistosomas.  Contra os Vermes intestinais, associa-se ao vermífugo um purgante que facilita a evacuação dos parasitas mortos ou atordoados.

Sumário