Spekia zonata

   

  

   Nome científico: Spekia zonata (Woodward 1859)

Nome comum: Neritina do Tanganyika

Origem: Africa, endémico ao lago Tanganyika; os espécimes foram colectados em Gitwe II (Km 20 ao sul de Bujumbura, perto de Gakora), no Burundi.

Família: Pleuroceridae 

Sub-família: paramelaniinae

Sub-classe: Streptoneura / prosobranchios

Tamanho: 1 cm

Respiração: aquática, por guelras

Temperatura:  mantidos actualmente à 19°C.  A temperatura no sitio de colecta é de 23 à 26°C, descendendo à 3 - 5°C à profundidade de 10 metros.

 

Utilidade: consome as algas crosta que se desenvolvem na face frontal do aquário.

Nota: afeiçoa particularmente as superfícies sólidas, não se desloca no substrato.  O sitio de colecta é uma costa rochosa. Esta espécie està presente de 20 cm de profundidade à 2 metros.

 

Alimentando-se de algas sobre a face frontal do aquário.

Note a radula, o tamanho reduzido do pé que não ultrapassa a concha e as antenas de tamanho reduzido. Estes elementos indicam aparentemente  uma postura defensiva sistemática.

 

 

Este prosobranchio vive exclusivamente sobre os elementos sólidos do substrato.  O movimento é muito lento.  Do ponto de vista alimentar, não se interessa pelas algas superiores como o cladofora, nem pelas plantas, nem pelos cadáveres.  Os granulados do comércio aquariofilo são desdenhados.

Este  gasteropode é extremamente especializado, a presença de comida apropriada é um factor indispensável para sua manutenção.

 

Regresso ao Sumário